Almeida Prado

Acordei ontem tão chocado com a notícia do falecimento de José Antonio Almeida Prado que não tive coragem de sentar e escrever nada a respeito. Achei que tudo o que pudesse dizer não espelharia a enorme perda que teve a nossa música.
É difícil reconhecer os gênios, principalmente quando fazem parte do nosso cotidiano. Eles convivem conosco como pessoas comuns, e nós as tratamos assim, como pessoas comuns. Dizemos alô e ciao como se estivéssemos tratando com simples mortais como nós. São alguns lampejos de consciência, quando somos confrontados com a sua obra, que nos indicam a importância de sua criação e a singularidade de sua existência.
Tantas vezes a grandeza da obra não condiz com a pessoa do criador. Quase sempre prefiro manter distância das pessoas que admiro muito. Tenho medo de confundir a sua imperfeição humana com a perfeição de sua obra.
Conheci José Antonio nos anos 70, quando, ainda pouco experiente com a música de nossos dias, tive a oportunidade de dirigir um concerto na Semana de Musica Contemporânea de Graz, na Austria. Do concerto fazia parte a “Exoflora” de Almeida Prado, da qual ele mesmo foi solista ao piano.
Passamos aquela semana andando pelas ruas, ensaiando e assistindo a concertos, conversando sobre música contemporânea, rindo às gargalhadas de nós mesmos e da importância que tantos compositores davam a si mesmos.
José Antonio era de uma modéstia comovente, espiritualizada até.
Tinha já naqueles dias a noção de transcendência da música e de seu caráter inefável. Compunha e ouvia a sua própria música assim como a dos outros como se estivesse orando. Aprendi muito com ele, ao me concentrar no som dos pássaros, do vento, da chuva e ao reencontrar na sua música esse seu amor pela natureza e pela criação divina.
Nunca mais nos separamos. De tempos em tempos nos falávamos e quando assumi a OSESP, foi um dos compositores brasileiros que mais procurei executar. Em Campos de Jordão ouvi a Sonata para Violoncelo que José Antonio compôs para Antonio Menezes e saí do Auditório certo de que tinha ouvido uma obra da grandeza de uma sonata de Brahms.
Andava doente há tempos. Sofria muito com sua diabetes, mas nunca o ouvi proferindo uma palavra de queixa. Pelo contrário, conversar com ele era sempre uma celebração da vida e dos planos futuros. Nossas conversas eram tão simples e despojadas que eu, vez ou outra, nem me dava conta de que estava falando com um gênio de nossa cultura, um ser abençoado, capaz de criar obras que dão ao nosso cotidiano um outro sentido.
Sei que a obra do gênio perdurará. E os gênios, por isso mesmo, são imortais. A minha imensa tristeza é pela perda do Zé Antonio. Essa é difícil de enfrentar.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Almeida Prado

  1. a cantora careca disse:

    Sinto muito. Era mesmo genial.

  2. Marcos disse:

    Pois é Maestro. Foi um choque.

    Estudei composição por 6 anos com ele no início dos anos 90 e mesmo atualmente não tendo um contato próximo ele sempre esteve presente no meu trabalho. Às vezes mais próximo, às vezes nem tanto, mas sempre uma referência.

    Fiquei com a impressão que algo não foi acabado. Um vazio, sei lá. Não encontro palavras.

  3. Mary-Helen TE disse:

    Fiquei muito chocada também. Era muito especial e fará muita falta.

  4. Alexandra disse:

    Fui um privilegio poder ter estudado com ele. Juntos estudamos sua sonata nr. 5.
    Vai ficar um vazio enorme.

  5. Ana Luiza Almeida Prado Sawaia disse:

    Querido Maestro John Neschling,
    Lindo o texto sobre meu pai. Fiquei extremamente comovida. Ele vai fazer muita falta mesmo, além de músico genial e amigo, principalmente como pai e avô. Sempre presente, alegre, com seu humor inesquecível… Obrigada pelo profundo sentimento com que escreveu.
    A missa de sétimo dia será realizada na Igreja Nossa Senhora do Sion, na Avenida Higienópolis, às 10 horas da manhã, no sábado, dia 27/11.
    Um grande abraço,
    Ana Luiza

  6. Odair disse:

    Lamentável perda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s