Diário de um Barbeiro 4 e otras cositas más…

14 dias para a estréia. Entre ontem e hoje Victor Hugo fez 12 horas de leitura da ópera com a orquestra que vai tocar as primeiras 11 récitas, 5 em Belo Horizonte e 6 em Porto Alegre. Amanhã começo a ensaiar os detalhes. Será preciso encontrar a sonoridade adequada e o estilo correto em pouquíssimo tempo.São excelentes músicos de 3 cidades diferentes, recrutados para essa primeira fase. A partir da segunda fase, a orquestra sofrerá sempre pequenas modificações, mas a maioria dos músicos permanecerá de fase para fase, garantindo que a qualidade fique estável. No fim da semana que vem o circo se desloca para Belo Horizonte. São quase 70 pessoas, uma verdadeira operação de guerra.

Mas há uma grande notícia : no dia 23 de agosto, a Companhia Brasileira de Ópera fará um concerto de gala, que terá como convidados especiais Daniela Dessi (soprano) e Fabio Armiliato (tenor) como solistas. Trata-se de uma dupla de peso, que tem se apresentado com regularidade nos maiores teatros de ópera do mundo, e gravado muitos títulos. Recentemente, gravei com os dois e a orquestra do Teatro Reggio di Parma uma Traviata que brevemente estará no mercado, inclusive no Brasil. Os dois artistas nunca estiveram no noso país. Teremos, portanto, dois cantores no esplendor de suas carreiras cantando o seu repertório num concerto que será certamente memorável. A récita será no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Bastou uma conversa com a direção do teatro carioca para que a gala fosse viabilizada com todo o entusiasmo. Também passamos meses tentando viabilizar o concerto em São Paulo, na Sala que construimos para ser a sede da orquestra que dirigi durante 12 anos. Infelizmente, não houve uma resposta, negativa ou afirmativa. Triste situação essa em que razões de ordem meramente política privam a cidade e o público paulistano de um espetáculo desse quilate. As tentativas de borrar da história da orquestra a minha atuação, e de fazer crer que a OSESP que criei é um fenômeno de geração artística espontânea serão infrutíferas. Curioso que na capa do disco em que Claudio Cruz sola os concertos de Tchaikowsky e Bruch (aliás uma capa pavorosa, esteticamente falando) meu nome não apareça. Aparece na contracapa. Como se a orquestra tocasse sem regente. Como se a idéia de gravar com Claudio Cruz não tivesse sido minha . Como se isso não fizesse parte de um projeto maior que idealizei, de viabilizar que solistas brasileiros gravassem concertos do grande repertório internacional. (Gravamos com Arnaldo Cohen algumas obras para piano e orquestra de Rachmaninof, uma série que infelizmente não me foi permitido concluir, e convidei Ricardo Castro para gravar os concertos Schumann e Grieg, num outro projeto que não tive tempo de desenvolver).
A história é a história e tentativas de manipulá-la acabam forçosamente em fracasso.

Anúncios
Esse post foi publicado em Barbeiro, Texto e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Diário de um Barbeiro 4 e otras cositas más…

  1. Baby Field disse:

    Barbaridade!

  2. Mary-Helen TE disse:

    Até tu, Claudio Cruz!

  3. Márcio Paduan Donadio disse:

    Caro Neschling, como alternativa à São Paulo, sugiro o novo Theatro Municipal de Paulínia. Os habitantes da região de Campinas certamente irão gostar da ideia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s